Aquecimento Climático

A temperatura média da superfície terrestre subiu mais de 0,6 o C desde os últimos anos do século XIX. Se prevê um novo aumento entre 1,4 o C y 5,8 o C para o ano 2100, o que representa uma mudança rápida e profunda. Ainda que o aumento real seja o mínimo previsto, será maior que em qualquer século dos últimos 10.000 anos.

A razão principal do aumento da temperatura é um processo de industrialização iniciado há um século e meio e, em particular, a combustão de quantidades cada vez maiores de petróleo, gasolina e carbono, o desmatamento de bosques e alguns métodos de exploração agrícola.

O aquecimento atmosférico é um problema "moderno": é complicado, afeta a todo o mundo e está relacionado a questões delicadas como a pobreza, o desenvolvimento econômico e o crescimento demográfico. Não será fácil resolve-lo. Ignorá-lo, será ainda pior.

Há mais de um decênio, a maior parte dos países aderiu a um tratado internacional – a Convenção Marco das Nações Unidas sobre o Cambio Climático – para começar a considerar o que se pode fazer para reduzir o aquecimento atmosférico e adotar medidas para fazer frente ao aumento temperatura que é inevitável. Em 1997 os governos decidiram incorporar um adendo ao tratado, conhecido como Protocolo de Kyoto , que inclui medidas mais enérgicas (e juridicamente vinculáveis). Está previsto que o Protocolo entre em vigor em breve. E , desde 1988, um Grupo Intergovernamental sobre o Cambio Climático vêm estudando as pesquisas científicas e oferecendo aos governos resumos e assessoramento sobre os problemas climáticos.

Fonte: www.unfccc.int

 


2005 - Maperon - 1024 x 768 - IE 6.0